Loading...

O documentário que fará você repensar seu consumo

“As coisas que você possui acabam possuindo você”, destaca uma das 13 lições do livro Clube da Luta. E é justamente essa a reflexão apresentado no filme Minimalismo: um documentário sobre as coisas importantes, disponível no Netflix.

Em um contexto de mundo globalizado, onde as coisas rapidamente perdem o seu valor, se tornam ultrapassadas ou fora de moda, o minimalismo surge como uma alternativa ao sistema que nos promete a liberdade, mas acaba por nos aprisionar.

Tomando como ponto de partida o projeto desenvolvido por Joshua Fields e Ruan Nicodemus, fundadores do site The Minimalists, o documentário acompanha uma longa viagem dos dois pelos Estados Unidos. Enquanto eles divulgam seu lifestyle em busca de novos adeptos, nos são reveladas cenas e dados estarrecedores.

Quem já assistiu ao filme deve ter se impressionado com uma imagem da black friday americana, onde as pessoas se aglomeram e depois disputam, muitas vezes aos tapas, a maior quantidade de produtos que conseguem carregar.

Essa é, na minha opinião, uma das mais impactantes cenas do filme. Pois já de cara nos faz um questionamento: como chegamos a esse ponto?

Sociedade de consumo

Após a revolução industrial, o mundo nunca mais foi o mesmo. Naquele tempo estabelecemos as bases do estilo de vida presente nos grandes centros urbanos: produção em escala, ampliação do acesso aos bens e serviços e o nascimento de um fenômeno antes desconhecido: o consumismo de massa.

Esse comportamento humano está diretamente atrelado ao sistema capitalista e ao nascimento da classe média. Veja bem, vivemos em uma sociedade marcada pela necessidade intensa de compra e os empregos são gerados para atender ao próprio consumo.

O grande problema é que esse processo leva ao enforcamento das finanças pessoais, à exploração da natureza a níveis nunca antes vistos e a trabalhos degradantes. O que, de longe, não é ecológico, ético ou saudável.

O documentário toca bastante nessa tecla, a partir do ponto de vista de escritores, neurocientistas, sociólogos e empresários.

Segundo o grupo de pensadores, são várias as razões para esse fenômeno moderno. Uma delas é a nossa necessidade biológica por mais; porém essa inquietação é ativada com a influência gritante da publicidade, as redes sociais, o preço baixíssimo dos produtos e um estimulo à aquisição de coisas descartáveis, para que os bens sejam consumidos em grande volume e cada vez mais rápido.

Se antes a moda trabalhava em cima de 4 estações, hoje são pelo menos 52 coleções por ano, comenta Shannon Whitehead, consultora de moda sustentável. Por isso, viver com menos seria o caminho para uma vida com mais propósito.

Então quer dizer que eu terei que abrir mão das minhas coisas?

De forma alguma. O objetivo não é que você se livre de todos os objetos da sua casa ou dos itens do seu guarda roupas. A ideia é manter apenas o que faz sentido e se livrar dos excessos.

A dupla exemplifica que muito melhor do que possui vários moletons de baixa qualidade é ter um que você sabe que durará mais.

A grande mensagem do filme é mostrar que um estilo minimalista vai te proporcionar uma vida com menos estresse, pois tudo ao seu redor ficará mais simples e com mais sentido.

Os adeptos desse lifestyle garantem que se antes trabalhavam para pagar boletos ou manter um status social, hoje focam no que realmente importa. Após quase 1h 15 min de filme eu tenho certeza que você não ficará imune aos conceitos apresentados.

 

Por Camila Marinho Monteiro

2018-08-27T16:57:40+00:00agosto 27th, 2018|Dicas|3 Comments

3 Comments

  1. Jana 29/09/2018 em 14:04 - Responder

    Uaaau! Adorei

  2. Ingrid 01/10/2018 em 12:36 - Responder

    Muito bom o texto! Amei!

  3. Ingrid 01/10/2018 em 12:36 - Responder

    Muito bom o texto! Amei!!!

Deixar Um Comentário